Em 2020, haverá mais pessoas com celulares do que com eletricidade ou água potável

Os usuários que terão ao menos um dispositivo móvel contabilizarão naquele ano a 5,4 bilhões

Os dispositivos móveis estão ganhando a batalha: sua proliferação no mundo foi tal que em 2020 o número de pessoas que terá pelo menos um deles será maior que o que contará com eletricidade, água potável e automóveis, segundo as últimas previsões da empresa de tecnologia Cisco.

Os usuários de dispositivos móveis, incluindo os “phablets” (híbrido entre telefone e tablet), chegarão naquele ano aos 5,4 bilhões, 70% da população estimada para esse ano, indica o estudo “Visual Networking Index – Global Mobile Data Traffic Forecast”, publicado recentemente pela empresa da Califórnia (Estados Unidos).

O número é superior às projeções internacionais sobre o acesso a alguns serviços públicos, como eletricidade (5,3 bilhões) e água potável (3,5 bilhões), ou de outros bens de consumo como os automóveis (2,8 bilhões), segundo a companhia.

A Cisco calcula que em cinco anos haverá 11,6 bilhões de celulares, dispositivos e conexões, incluindo 8,5 bilhões de telefones pessoais, frente a 7,9 bilhões em 2015. Deles, 67% serão “inteligentes”, contra 36% em 2015.

Ninguém imaginava que, desde a chegada no ano 2000 do primeiro telefone celular com câmera, o impulso chegasse a tal ponto que, como prevê a Cisco, sejam em cinco anos os principais responsáveis da maior quantidade do tráfego na internet, com 72% do total.

Por regiões, a América do Norte vai continuar liderando em 2020 o maior número de conexões através de móveis (com 95% de seus registros), seguida de perto pela Europa Oriental (86%), Europa Ocidental e Central (84%), Ásia e Pacífico (72%), América Latina (70%) e Oriente Médio e África (52%).

Esse aumento da cobertura móvel e da demanda por conteúdo nessas plataformas impulsionarão também um crescimento dos usuários duas vezes mais rápido que o da população mundial até 2020, segundo a companhia.

“A mobilidade é o meio predominante que está permitindo a transformação digital global”, destacou em comunicado Doug Webster, vice-presidente de Marketing para Provedores de Serviços da empresa americana.

A isso é preciso se somar que, segundo indica o relatório, os smartphones, os computadores portáteis, os tablets e os “phablets” serão os que vão dominar com 98% o eventual tráfego móvel de internet.

Uma troca digital que crescerá a níveis nunca vistos com tantos celulares, 120 vezes mais que em 2010, e que atingirá 366,8 exabytes, equivalentes a 81 trilhões de fotos de Instagram ou 7 trilhões de vídeos de YouTube, frente aos 44,2 exabytes de 2015.

Também vai implicar que em cinco anos o tráfego móvel crescerá duas vezes mais rápido que o fixo IP, ainda bastante difundido no planeta.

O que não vai acontecer tão depressa é uma multiplicação por igual do tráfego móvel em todos as regiões do mundo, já que depende de sua capacidade econômica e de redes eficazes para abrigá-los.

Os que liderarão serão Oriente Médio e África, segundo as previsões, ao aumentar em 15 vezes o tamanho de seu fluxo de dados. Vão segui-los Ásia e Pacífico, com 9 vezes; Europa Central e América Latina, com 8; e Europa Ocidental e América do Norte, com 6.

A velocidade também será um elemento que apresentará uma explosão exponencial nas redes móveis, pois, segundo o estudo, aumentará 3,2 vezes a partir deste anos (2,0 Megabits por segundo) para (6,5 Mbps) em 2020, graças às redes 4G, cujo tráfego crescerá 13 vezes nesse período.

É o mesmo caso da atividade de gravar em vídeo com a ajuda dos celulares, que terá um índice mais alto de avanço que qualquer outro aplicativo e para o qual se prevê que em cinco anos centre 75% do tráfego mundial de dados.

Os especialistas preveem, além disso, um grande impacto em médio prazo da convergência de tecnologias, como a tendência à conexão à rede de todos os dispositivos que rodeiam o ser humano e acessórios como relógios inteligentes e óculos especiais, além de sensores e o avanço da robótica.

Perante isso, Webster pediu para se encarar com a segurança de que esses “avanços de ‘internet das coisas’ – rede de objetos cotidianos interligados – continuarão se transformando em benefícios tangíveis para as pessoas, os negócios e as sociedades”.

Os usuários demandam cada vez mais vídeos de alta resolução, mais largura de banda e processadores rápidos, o que também obrigará a um aumento do uso de dispositivos com tecnologias de quarta geração (4G), segundo a Cisco.

Assim, esta onda de usuários móveis, dispositivos inteligentes, vídeo e redes 4G aumentará oito vezes o volume do tráfego de dados móveis nos próximos cinco anos. Definitivamente, outra explosão tecnológica.

Em 2020, haverá mais pessoas com celulares do que com eletricidade ou água potável

10 lugares grátis para você trabalhar em São Paulo

Os nômades digitais podem praticar o trabalho diretamente de sua casa, mas se a distração do lar está atrapalhando o seu rendimento ou a inspiração necessária não vem, nada melhor do que buscar novos ares para fazer o trabalho render mais. O trabalho home office permite que qualquer lugar com internet se torne seu novo escritório. Para ajudar na escolha, selecionamos 10 lugares grátis em São Paulo para levar seu notebook e colocar a mão na massa.

Espaços de coworking aumentaram a oferta de novos lugares para trabalhar, porém a grande maioria cobra uma mensalidade e não é todo nômade digital que quer arcar com um custo do tipo. Sendo assim, eles recorrem a parques, cafés, bibliotecas e outros pontos da cidade onde uma mesa e o mínimo de conforto dão conta do recado.

1. Coworking Spaces FIAP SU – Paulista

Na região da Av. Paulista e na Vila Olímpia, a FIAP criou um espaço bem legal em parceria com a Singularity University. Com cafeteria, muitas mesas num ambiente moderno e Wi-Fi livre, o espaço é aberto para alunos, ex-alunos e interessados em projetos ligados a empreendedorismo, inovação, cooperação e desenvolvimento de startups. Mas atenção: requer agendamento prévio através do site.

Fiap-paulista-coworking

2. Beluga SP – Vila Buarque

Inaugurado recentemente, este pequeno café na região central da cidade reúne não só amantes da bebida como pessoas em busca de um canto acolhedor para trabalhar. Uma ótima alternativa para quem está próximo ao centro.

Beluga

3. Biblioteca São Paulo – Carandiru

O que era o antigo presídio do Carandiru se transformou num espaço moderno e pra lá de inspirador. Ao lado da estação de metrô homônima está a biblioteca, em meio a um parque. Além de muitos livros, o local conta com Wi-Fi e bicicletário.

bsp

4. Santo Grão – Oscar Freire

Dividido em três ambientes, a cafeteria conta com um amplo terraço, um lounge, onde ficam poltronas confortáveis e um salão repleto de mesas. Entre uma xícara e outra, o trabalho rende legal com ajuda do Wi-Fi rápido e gratuito.

santo-grao

5. Brascan Open Mall – Itaim

O shopping a céu aberto tem clima gostoso durante o dia, mas vale evitar o horário de almoço, quando os restaurantes alocados lotam. As mesas, ao ar livre, podem ser ocupadas por notebooks e possuem tomadas próximas. O Wi-Fi gratuito funciona somente por duas horas, mas já quebra um galho e logo ao lado tem o Starbucks.

brascan

6. Biblioteca Mario de Andrade – Centro

Num espaço amplo, agradável e de fácil acesso, a BMA conta com salas de leitura e um hall central de pesquisa onde qualquer pessoas pode chegar e se sentar para ler, trabalhar e se reunir, sem fazer bagunça, é claro. O Wi-Fi é gratuito e logo ao lado está a Praça Roosevelt, onde dá pra relaxar pós -expediente.

bma

7. Ekoa Café – Pinheiros

Muita gente se reúne no amplo espaço do Ekoa para trabalhar. Além de a internet ser gratuita, o espaço num agradável sobrado serve café orgânico e lanches vegetarianos, além de promover a troca de livros e revistas.

ekoa

8. Vista Café – Vila Olímpia

No terraço do glamouroso shopping JK Iguatemi está o Vista Café, de onde se tem um visual bacana da cidade e mesas ao ar livre. O Wi-Fi é gratuito e o espaço é aconchegante.

vista cafe

9. Le Pain Quotidien – Vila Madalena

No coração da Vila Madalena e com Wi-Fi gratuito, a padaria francesa dispõe de uma grande mesa para quem deseja encostar e trabalhar, ou até mesmo fazer reuniões. Além disso, a comida é boa e os pães dispensam comentários.

lepain

10. Centro Cultural São Paulo – Paraíso

Num espaço amplo, moderno e público, o CCSP conta com várias mesas espalhadas entre os ambientes, incluindo uma biblioteca. No terraço, há um espaço verde agradável, com uma horta comunitária e a céu aberto. Na hora da fome, a Av. Paulista fica bem ao lado, cheia de opções.

ccsp

10 lugares grátis para você trabalhar em São Paulo

Como mostrar que você está certo: as dicas de uma psicóloga de Harvard

Deixe o outro falar e evite o confronto são dois bons conselhos para usar no trabalho e em casa.

Carreira ; discussão ; relacionamento ; casal ; briga de casal ; estresse ; quem está certo ; discutir a relação ;  (Foto: Thinkstock)

Por mais difícil que possa ser, a melhor coisa a fazer quando você está discutindo com alguém – e sabe que está certo – não é tentar convencer a todo custo o seu interlocutor. Isso só gera sentimentos negativos. A opinião é de Amy Cuddy, psicóloga e professora da Universidade de Harvard, nos EUA, que garante que o melhor a se fazer nessa situação é ouvir. Amy é autora do livro “Presence: Bringing Your Boldest Self to Your Biggest Challenges” (Presença; trazendo seu lado mais ousado para enfrentar seus maiores desafios, em tradução literal), que discute as formas sutis, mas poderosas, que nossos comportamentos têm para influenciar pensamentos e emoções. O livro diz, entre outros fatores, que quando nós nos sentimos no controle de uma situação também temos a habilidade de conceder esse poder a outras pessoas.

Em recente conversa com Susan Cain, autora do livro “O Poder dos Tímidos”, Cuddy afirmou que seus maiores desafios vinham de suas relações pessoais – com seu marido, em particular. Participar de conflitos ou ter confrontar alguém a deixava extremamente ansiosa. Nesse tipo de caso, o remédio que seu livro sugere é se sentir completamente engajada com aquilo que está lutando. “Quando você entra em situações que por si só já têm conflitos envolvidos, a melhor coisa a se fazer é se permitir que o interlocutor fale. Você não está dando poder a ela. Você está, na verdade, permitindo que ela seja vista e compreendida”. Ao ouvir o lado de seu interlocutor, você dá à pessoa a chance de se tornar parte da conversação, afirma Cuddy em artigo publicado no Business Insider.

Mas e se a outra pessoa está falando algo questionável, com o qual você definitivamente não concorda? A solução não é sair falando. “Eu acho que você tem de amaciar seu tom de voz”, ensina. “Você tem que esperar”. E continua: “Em primeiro lugar, quando você responde em um momento de raiva não está argumentando bem. Se você deixar os outros falarem, vai obter mais informação sobre o que está sendo discutido. Faça uma pausa e considere se aquele é o momento certo para se manifestar. Se não for, diga que vai responder depois”. É difícil, mas com isso você evita “perder a razão” só porque estava com raiva.

Outro exemplo: uma briga sobre quem deveria limpar o banheiro poderia deixar uma pessoa com raiva e outra com a razão. Mas, em lugar de tornar a briga a questão central, por que não pensar em um modo melhor de dividir as tarefas domésticas ou discutir sobre como a outra pessoa se sente incompreendida?

No fundo, são apenas alguns insights que acabam retornando ao mesmo ponto: tente entender melhor a outra pessoa, antes de partir para o confronto. E lembre-se do antigo ditado: afinal, você quer ser feliz ou ter razão?

Como mostrar que você está certo: as dicas de uma psicóloga de Harvard

Como ser assertivo em campanhas de mídia programática?

O mercado publicitário digital evolui em um ritmo tão acelerado que a automatização da compra de espaços publicitários na internet, mais conhecida como mídia programática, deixou de ser um mito e já é realidade no planejamento de muitos anunciantes. Hoje, o Brasil é o País mais avançado em mídia programática da América Latina e, de acordo com uma pesquisa do International Data Corporation (IDC), a estimativa para 2018 é que as empresas brasileiras invistam 55,8 milhões de dólares em anúncios programáticos, enquanto os demais países latino-americanos, juntos, deverão aplicar 54,1 milhões de dólares. Nos EUA, este segmento cresceu 19% no primeiro semestre de 2015, se compararmos com o mesmo período de 2014.

Para que os anunciantes se sintam seguros em alocar investimentos em campanhas de mídia programática e para que elas sejam exitosas, alguns passos são fundamentais. O primeiro é o planejamento macro de comunicação que envolve os atributos da marca, os objetivos e os Key Performance Indicators (KPIs). O segundo passo, considerado o DNA de um projeto, é extremamente importante para o êxito das demais etapas: o planejamento específico da campanha de mídia on-line para que sejam definidos os critérios de investimentos, objetivos e estratégias de alcance, frequência, engajamento e conversão.

A terceira etapa é o setup. Este é o momento de operar a tecnologia de forma programática para definir como os investimentos serão distribuídos, de acordo com o objetivo de cada projeto. O quarto passo é a otimização da campanha, que deve ocorrer durante todo o período em que ela estiver no ar para que seja possível alterar algumas rotas que não estejam dando o resultado esperado. Essa fase requer muita atenção quando a alteração de rota se der em mídia display e vídeos, pois a estrutura de criação e produção deverá ser acionada em tempo real. A quinta e última etapa é o relatório final que apresenta o desempenho da campanha nos diferentes formatos, sejam eles social, banners, links patrocinados ou vídeo.

E como garantir a segurança das ferramentas automáticas utilizadas nas campanhas de mídia programática, a certificação da capacidade de entrega e a qualidade de inventário dos publishers das redes? Para responder a essa pergunta, vamos falar um pouco sobre click fraude e viewability. O click fraude é um mecanismo que as tecnologias entregam (ou deveriam entregar) para que robôs não sejam programados para burlar a sua campanha, garantindo assim a assertividade dos investimentos. Já o viewability é uma métrica de segmentação estabelecida pelo IAB americano e pela Media Rating Council (MRC). Algumas tecnologias oferecem opções para que o investimento possa privilegiar as entregas dos formatos conforme um padrão definido previamente. Neste modelo e de forma automatizada, é possível identificar os banners que de fato impactaram os usuários em suas telas, sem veicular ou contar a impressão dos demais que estão abaixo do scroll e que não serão publicados.

 Com um planejamento bem-executado, a campanha vai falar com a pessoa certa, na hora certa, fazendo, por exemplo, que o torcedor do Palmeiras não receba em sua tela um anúncio do Corinthians ou vice-versa, seja o objetivo da campanha o alcance, engajamento sócio-torcedor ou venda de uniforme do time. Para maior efetividade da campanha, é possível ainda utilizar dados Data Management Platforms (DMPs) do cliente e de terceiros, ou seja, informações segmentadas do comportamento do consumidor que a campanha deseja atingir. Pesquisas recentes demonstram que o consumidor prefere ser impactado por assuntos relevantes e de seu interesse; por isso, quanto mais preditivo for o comportamento das marcas e a sua comunicação junto ao consumidor, melhor será o resultado da campanha. Com um correto planejamento e execução de campanhas que permitem gerenciar os investimentos em tempo real e nos múltiplos formatos on-line, o anunciante passa a ter maior potencial de otimização dos seus investimentos em mídia e, consequentemente, obter resultados ainda mais efetivos para a sua estratégia de campanha de mídia.

Como ser assertivo em campanhas de mídia programática?

As 15 características dos superstars de venda

As-15-caracteristicas-dos-superstars-de-venda-televendas-cobranca

Os super vendedores têm hábitos diferentes de todo o resto. Conheça 15 características que você pode começar a praticar hoje

Se você está ou já esteve envolvido com vendas, sabe que essa não é uma atividade para os fracos de coração.

Seja vendendo um par de tênis em uma loja de varejo, um novo sistema de aquecimento, ou lançando sua startup para os investidores, concretizar a venda depende de aparência, conhecimento e entusiasmo do vendedor.

Francamente, nem todos nós temos essas características. Há um ditado que diz que os vendedores nascem vendedores, não aprendem.

Sem dúvida há talento natural, mas você pode aprender essas características e ser bem sucedido. Aqui estão 15 delas.

#1. Consciência

Os vendedores, representantes comerciais e qualquer outro profissional de vendas que tem mais sucesso são os conscientes.

Essa característica é encontrada em pessoas que têm um grande orgulho de seu trabalho, são organizadas e eficientes. Mas, se você não for organizado e eficiente, você pode aprender a ser.

A consciência também significa que você vai seguir adiante com o seu trabalho, não importa o que aconteça.

#2. Respeito

Marcus Tober é fundador do Searchmetrics. Ele afirma que os seus representantes de vendas respeitam o tempo dos clientes acima de tudo.

Você precisa ter certeza de que seus potenciais clientes são tratados como ouro. Para isso, táticas antigas não funcionam. As pessoas são ocupadas, respeite o tempo delas, acima de tudo.

#3. Iniciativa

Os super vendedores não esperam por ordens. Eles têm atitude e fazem as coisas por si mesmos. Ser disciplinado vai ajudá-los a manter o rumo. Se alguma coisa precisa ser vendida, existe uma maneira de fazer.

O vendedor vai fazer o que for preciso para vender o produto. Assim, ele aprende a gostar do produto, elogiar sempre que necessário, aprender a espelhar para se conectar com o seu cliente e ter a chance de vender.

Os vendedores de verdade sabem o que estão fazendo.

#4. Eles ouvem

Quando você escuta seus clientes, você descobre o que eles querem e precisam, e como pode ajudar para que isso aconteça.

Se você não sabe exatamente como fazer acontecer o que seu cliente pediu, tenha a certeza absoluta de que há uma maneira. Você simplesmente não a encontrou ainda.

#5. Persistência

Você precisa ser obstinado para ser um vendedor. Por que? Porque você vai ouvir muito a palavra não.

Você precisa ser confiante e persistente, se você quiser continuar envolvido com as vendas. As vendas difíceis são mais comuns do que se imagina.

Então, habitue-se a persistir em suas vendas. Elas não vão cair do céu.

#6. Saiba ceder

A experiência não é tão importante quanto a vontade de testar coisas novas. E os vendedores precisam estar abertos a isso.

Seja enérgico, disposto a aprender e tenha a capacidade de se adaptar. Isso será importante para que você sobreviva no mundo das vendas.

Se alguém pede para que você faça as coisas de uma certa maneira, faça como pediram, mesmo que seja algo que você sempre fez de um jeito diferente. Isso vai fazer com que você se adapte e sobreviva.

#7. Seja positivo

De quem você prefere comprar? De um vendedor otimista ou de um infortúnio deprimido?

Ter uma atitude positiva e ser alegre torna mais fácil para você abordar clientes e manter a sua atenção até depois que você fez a venda. Essa atitude exala de uma pessoa e contagia quem está a sua volta.

Se você tem algo ruim acontecendo em casa, aprenda a passar por isso. Aprenda a compartimentar os aspectos de sua vida.

Sua vida profissional precisa ser positiva.

#8. Tente métodos diferentes

Os verdadeiros vendedores são capazes de mudar de marcha, se a venda não está indo na direção que pretendem. Em vez de apenas aceitar o não como resposta, eles vão tentar uma abordagem diferente, usando sua criatividade e imaginação.

Lembre-se, você tem que torna-lo ágil e mudar rapidamente. Aprenda a ler os rostos das pessoas.

Se a sua abordagem não está funcionando em 2 minutos, mude. Tenha suas voltas e reviravoltas prontas. Se precisar, pratique em casa para que tudo soe naturalmente.

#9. Paixão

Um vendedor superstar realmente gosta de seu trabalho. Se você odeia o que faz, caia fora. Mais importante ainda, o vendedor ainda é apaixonado sobre os produtos ou serviços que vendem.

Se eles estão dentro de uma empresa, eles podem compartilhar essa visão com potenciais clientes e clientes.

#10. Faça perguntas

Não há nenhuma maneira de descobrir as coisas melhor do que as perguntas. Muitas vezes os melhores vendedores fazem o dobro de perguntas de todo o resto.

O mais importante, por outro lado, não é a quantidade de perguntas, e sim a sua finalidade. Eles querem saber qual a implicação dessas perguntas.

As perguntas que eles fazem não é sobre o produto, mas sim sobre desejos, problemas e soluções.

O seu cliente tem algo a dizer. Você só precisa fazer as perguntas certas.

#11. Seja independente

Como a maior parte do trabalho de um vendedor é recompensada com uma comissão, eles têm que ser independentes e tomar as medidas corretas para que consigam alcançar a venda.

Um super vendedor sabe que o seu chefe não precisa estar presente para que o trabalho seja feito. Ele é um auto-motivador.

O vendedor independente pode construir e realizar mais. Por isso eles não precisam se sentir agraciados por cada chamada de vendas. Eles sabem se parabenizar.

#12. Gerencie o tempo

Aqui está uma equação simples: mais tempo vendendo aumenta o número de vendas e a recompensa.

Os melhores vendedores gerenciam o seu tempo de forma eficaz, tais como encontrando melhores rotas de um local para o outro, para que tenham mais oportunidades de fazer mais visitas e fecharem mais vendas.

#13. Entregue mais

Os vendedores devem cometer o excesso de resultados. Você tem que ir acima e além. Verdadeiros vendedores não sabem quando parar, e normalmente estão se pressionando para entregar mais.

Mais pessoas, mais clientes, mais trabalho, mais dinheiro. Apenas mais.

#14. Seja acessível

Um grande vendedor não tem nenhum problema em conviver com os outros. E, mais importante, eles gostam de conhecer novas pessoas e perceber o poder do networking.

Por isso, não é surpresa ver vendedores envolvidos com tantos eventos e organizações locais. A maioria das pessoas de vendas amam as pessoas e demonstram isso.

Eles são energizados por pessoas. Eles vão para a casa e mal conseguem dormir depois de um evento.

#15. Prontidão

Vendedores estão sempre preparados. Eles têm que estar prontos para qualquer situação que aparecer, e saber como resolver o problema.

O vendedor está consciente de si mesmo e de seu corpo. Se ele não está em alerta, ele precisa cuidar para ficar alerta.

Uma dose de cafeína, correr um pouco, ou comer menos. Eles fazem o que for preciso. A prontidão é a chave para muitos dos princípios de se tornar um grande vendedor.

Você está pronto para começar?

Se tornar um grande vendedor não é fácil. São milhares de detalhes, milhares de comportamentos e pensamentos específicos. Mas, se você começar hoje estará pronto o mais rápido possível.

Agora que você já sabe as atitudes que diferenciam os super vendedores de todo o resto, sabe o que está faltando em você para se destacar?

Se a resposta é não, que tal mais 1 lida? Se a sua resposta for sim, comece agora mesmo. Quanto mais cedo você praticar, mais esses hábitos farão parte do seu comportamento.

As 15 características dos superstars de venda

Maneiras simples de aumentar as vendas

Maneiras-simples-de-aumentar-sua-confianca-em-vendas-televendas-cobranca

Você confia em seu potencial e sua capacidade de vendas? Confira as nossas dicas para aumentar a sua dose de confiança

Ser confiante é uma coisa que nós todos já ouvimos falar, várias e várias vezes.

Existem dezenas de livros escritos, seminários, cursos, blogs e outras atividades sobre o tema na internet e fora dela. A confiança é tão importante que, sem ela, não conseguimos fazer nosso trabalho da melhor maneira possível.

Quando você tem confiança, as coisas ficam muito mais divertidas. E, quando você se diverte, você acaba fazendo coisas incríveis. Superficialmente, isso é uma coisa simples: seja confiante e você fará coisas surpreendentes.

Mas, e se você não for confiante? Como conseguir aumentar a sua performance e chegar em suas metas e objetivos, se você não for confiante.

Esse não é um tema importante porque é valioso, mas porque é extremamente difícil de se atingir. Felizmente, existem pequenas coisas que podemos fazer todos os dias para aumentar nossa confiança na arena de vendas e melhorar a nossa vida.

Aqui estão algumas dicas que podem ajudar você a aumentar a sua confiança em vendas, e com isso melhorar a sua performance e desempenho na área comercial.

#1. Se envolva com fornecedores e lugares onde quer que você faça negócios

Pechinche com a balconista de farmácia. Veja se você pode fazê-la rir. Elogie a equipe de garçons do restaurante na próxima vez que for almoçar.

Crie um hábito de envolvimento com aquelas pessoas com que você se relaciona em seu dia-a-dia. Isso vai ajudar a impulsionar a sua atitude em um discurso confiante e, a parar de ter medo das pessoas. Muitas vezes elas não mordem.

#2. Encontre oportunidades para falar com pessoas afins

Pense em algo que você gosta muito. Pode ser morangos, bolo de chocolate, pudim, ou algum hobby que você adora. Sempre que você encontrar alguém que compartilhe do seu hobby, você vai falar a respeito, não é mesmo?

E isso aumenta a confiança. Todo mundo tem algo especial que quer partilhar, agora é hora de deixar as coisas acontecerem e compartilhar aquilo que você gosta com pessoas que compartilham dos mesmos gostos.

#3. Considere as pequenas coisas como vitórias

Se você tem um filho, ou já teve um bebê, e hoje tem um filho grande, sabe como as pequenas vitórias são importantes. Quando você troca a fralda sem fazer confusão, tem uma pequena vitória, quando coloca seu bebê para dormir, mais uma pequena vitória.

E, você comemora cada pequena vitória, porque você se enche de confiança de que pode fazer as coisas acontecerem.

Você pode fazer isso com qualquer coisa. Quando você bebe água em vez de refrigerante, ou usa as escadas em vez do elevador, é uma vitória, no departamento de vida saudável.

A compilação de mini-vitórias em sua cabeça é uma das melhores maneiras de ganhar confiança e alcançar vitórias ainda maiores. Cultive as pequenas vitórias e, celebre-as.

#4. Pratique, pratique, pratique

Steve Jobs não simplesmente subia no palco e apresentava os maravilhosos produtos que a Apple criava.

Ele passava grande parte do seu tempo nas vésperas ensaiando e encontrando a melhor maneira de comunicar o que os benefícios e contar a história de seus produtos maravilhosos. A sua preparação tornava os produtos ainda melhores e, sempre deixava as pessoas extasiadas.

Será que Steve Jobs era confiante? Claro que sim. Ele ensaiou dezenas de vezes, depois fazia um ensaio final no palco, controlando luz, tempo de troca de slides e etc.

Construir confiança é a primeira coisa que cada representante deve fazer. Resume-se ao fato de que a pessoa com a mais autêntica confiança tem mais influência. Isso não pode ser falsificado.

#5. Perca o medo de falar em público

O medo número 1 de todos os seres humanos? Falar em público. O engraçado é que, ou você tem um medo mortal de falar em público ou fica muito confortável com isso – é preto ou branco. Não há um meio termo.

Mas, é possível superar esse medo, com coach ou grupos de networking que vão ajudar você a se treinar e perder o seu medo de falar em público. Ao se apresentar para outras pessoas, receber o feedback delas e aprender com outras pessoas mais experientes, e com outras que já venceram o medo, você vai se sentindo cada vez mais confortável em falar em público.

#6. Leia Tony Robbins

Isso é obvio. O cara tem ajudado a Oprah, Bill Clinton, Lance Armstrong e Andre Agassi em alguns de seus momentos mais baixos de carreira.

Dito isso, certamente ele poderia ajudá-lo. Se não estiver familiarizado, Tony Robbins é um treinador, escritor de dezenas de livros de autoajuda e palestrante motivacional.

Seus best-sellers “Unlimited Power” e “Awaken the Giant Within” são clássicos que absolutamente todo mundo deveria ler, pelo menos 1 vez.

#7. Pergunte “como assim?” e “por quê?” com mais frequência

A confiança vem do entendimento e, você ganha entendimento através de perguntas simples. “como assim?” e “por quê?”, são as melhores perguntas que você pode fazer em vendas.

Isso vai ajudar você a entender melhor seus clientes, seus desafios e suas decisões.

#8. Consiga um sim no início das conversas

Qualquer venda ou negociação, requer uma série de sins amarrados juntos, então comece com um fácil.

Você pode começar fazendo a pergunta: importa-se se eu fizer uma pergunta? Estou disposto a apostar que 99,9% de todos as pessoas que foram questionadas concordaram.

Seja um ouvinte investidor exibindo curiosidade e fazendo perguntas abertas. Quando você começa com um sim, as coisas estão a seu favor, e significa que você e o seu potencial cliente estão alinhados, no começo.

#9. Esforce-se para cumprimentar outras pessoas mais vezes

Não há melhor maneira de construir sua própria confiança do que levar aqueles em torno de você e muitas vezes, aprender a ver a bondade nos outros.

Isso vai ajudar você a ver o bem em si mesmo. Pense nisso em conversas e seja honesto quando compartilharem elogios, pois sua autenticidade será mostrada rapidamente. Relações pessoais mais fortes vão fazer você mais confiante em si mesmo.

Siga essas dicas e aumente seu poder de confiança em si mesmo

As pessoas confiam mais em quem confia em si mesmo. Isso acontece porque você não precisa ser confiável apenas, mas se sentir confiante. Quando a sua postura, a sua linguagem e o seu comportamento inspiram confiança, as pessoas acreditam mais em você.

Se você não acredita que faz o seu trabalho bem feito, aumente a sua carga de confiança, confie mais em si mesmo, e vai perceber que seus potenciais clientes vão fazer o mesmo.

CADASTRE-SE no Blog Televendas & Cobrança e receba semanalmente por e-mail nosso Newsletter com os principais artigos, vagas, notícias do mercado, além de concorrer a prêmios mensais.

Maneiras simples de aumentar as vendas

6 apps que toda pessoa de negócios deveria ter

São apps com diferentes utilidades, mas todos têm sido de grande contribuição por estarem me ajudando a cumprir minha agenda e todos os afazeres contidos nela

Com essa loucura em que estamos, muitas vezes precisamos recorrer à tecnologia para nos ajudar a conseguir fazer tudo o que precisamos. Não vou discutir aqui o quão mais ocupados e cheios de atividades estamos para o pouco tempo que temos porque daria um outro artigo. O meu objetivo aqui é simplesmente mostrar para você alguns appsque fazem muita diferença no dia a dia.

São apps com diferentes utilidades, mas todos têm sido de grande contribuição por estarem me ajudando a cumprir minha agenda e todos os afazeres contidos nela. Resolvi selecionar os 6 mais importantes, afinal tem app para tudo (o que pode fazer com que a gente se perca, às vezes).

Abaixo, confira a lista com uma pequena descrição do que eles fazem e em que ajudam.

Foque-se em ser produtivo em vez de focar-se em estar ocupado” – Tim Ferris

Scoop it – este é o melhor app para você se manter a par das notícias sobre sua área de interesse. Nele, você coloca palavras-chave do que gostaria de ver e o app fica constantemente atualizando você com o que está saindo na web, de acordo com o seu interesse. É muito bom pois, com pequenas olhadas, você sabe as últimas notícias, artigos, vídeos e afins sobre os universos de seu interesse.

Evernote – Inicialmente desenvolvido para você tomar anotações e conseguir organizá-las adequadamente. Portanto, quando você está em uma reunião com um cliente, depois outro e resolve dar uma olhada em um vídeo, pode ir anotando tudo no app e organizando, para depois retomar e tomar as devidas providências. Poder compartilhar com outras pessoas é uma ótima alternativa aqui também.

Headspace – Pode parecer estranho indicar esse app, mas ele tem sido muito especial, principalmente quando passamos por momentos em que parece que vamos pirar e precisamos acalmar a mente. Bom, esse é o app para isso, ele lhe passa alguns exercícios de yoga para você ir relaxando as ideias. Funciona muito bem, pois às vezes em 5 minutos você já está bem mais calmo e pronto para voltar com tudo.

Meetup – As pessoas colocam eventos, encontros e reuniões que vão ter e você pode acompanhar o que está rolando para ir. Desta forma, você pode procurar grupos que tenham temas do seu interesse e quando alguém daquele grupo montar um evento ou reunião, você será avisado e poderá ver se lhe interessa ir ou não. E quando você resolver criar algo, também pode avisar aos interessados por lá.

Canvas Model Design – Eu adoro fazer um Canvas. Às vezes quando tenho uma boa ideia na mente tenho vontade de desenhar, riscar e apagar, mas, dependendo do lugar, isso pode não ser adequado. Assim, neste app você desenha facilmente o seu Canvas e o melhor é o design, que fica muito agradável aos olhos, sem falar da facilidade de uso.

Pocket – No momento em que você viu um artigo super interessante mas fica com medo de esquecer de procurar depois, ou acha chato ficar enviando para você mesmo ler, esse é o app para você guardar exatamente o que quer ler depois. Ajuda muito a manter-se atualizado, pois diversas vezes nos deparamos com bons conteúdos que no momento não podemos ver e depois esquecemos. Aqui você guarda tudo para dar uma conferida depois.

Claro que cada pessoa, dependendo da sua atividade, pode precisar de outros apps mais específicos, porém fiz uma seleção bem genérica de aplicativos que podem ser muito úteis na vida da maioria das pessoas. Eles vão ajudar muito você a se manter atualizado, organizado e com a cabeça no lugar.

A tecnologia vai continuar evoluindo e apesar de alguns reclamarem que se “perdem”, ela está a nosso favor. Porém, ela lhe ajudar ou prejudicar é mais uma questão de você se adaptar a ela do que qualquer outra coisa. Use-a com sabedoria, pois isso vai ajudar muito a sua vida.

6 apps que toda pessoa de negócios deveria ter